ACERCA DO REFERENDO BRITÂNICO

O M.S.N. saúda o Povo Britânico pela sua corajosa tomada de posição no referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. De facto, mesmo enfrentando uma campanha contrária que previa cenários calamitosos e que assumiu os contornos de uma verdadeira lavagem cerebral, os britânicos não se deixaram intimidar e decidiram retomar o seu destino nas suas próprias mãos.

Na sequência deste resultado, noutros países da EU erguem-se agora vozes que também reclamam a realização de referendos. Obviamente o M.S.N. exige também para Portugal a realização de um referendo que permita ao Povo Português aquilo que, em 30 anos de integração, dita, europeia, sempre lhe foi negado: pronunciar-se acerca do destino da Nação.

Tal como o expressamos no nosso programa, estamos conscientes que, no mundo actual, nenhuma nação pode subsistir fechada sobre si própria. Esta constatação não implica a cedência da nossa soberania nacional nem a constante interferência nos assuntos internos dos diferentes povos europeus por parte de uns poucos capatazes ao serviço da grande finança internacional. O facto de que as Nações Europeias necessitam de se unir para enfrentarem em conjunto as ameaças que se perfilam no horizonte, não é uma carta-branca para subordinarem todo um continente à exploração capitalista, eufemisticamente chamada de “economia de mercado”!

Exigimos, de uma vez por todas, a dissolução destes Estados Unidos da Europa capitalista e, no seu lugar, a constituição de uma Aliança Europeia de Nações Livres que garanta a defesa da Europa das ameaças globais sem interferir nos assuntos internos dos seus países membros. Esta cláusula de não interferência será a garantia da unidade e da prosperidade da Europa.

Abre-se agora um novo capítulo na Luta de Libertação Nacional e Europeia, cabe agora aos Nacionalistas Portugueses a abertura de novas frentes de luta até à libertação final de Portugal e da Europa Ocidental.

 

VIVA PORTUGAL!

VIVA A EUROPA!

Anúncios