Política Externa

POLÍTICA EXTERNA

Num mundo cada vez mais globalizado, com os povos cada vez mais submetidos ao poder do dinheiro e as constantes interferências nos assuntos internos de cada país, eufemisticamente chamadas de “intervenções humanitárias”, por parte dos grandes poderes militares subordinados ao capitalismo internacional, a tarefa primordial da política externa do futuro Estado Nacionalista é a de assegurar o mais alto grau possível de Independência Nacional.

– As organizações internacionais em que Portugal está inserido, não servem os interesses nacionais, pelo que advogamos a saída da OTAN e a dissolução da União Europeia.

– Conscientes que, na era em que vivemos, nenhuma nação pode subsistir fechada sobre si própria, propugnamos a substituição da UE por uma Aliança Europeia de Nações Livres. Devido às afinidades civilizacionais e culturais, a Europa é o espaço natural de projecção da Nação Portuguesa.

– Nesta Aliança serão respeitadas as diferentes nacionalidades que constituem a grande Família Europeia, a cada povo será garantido o seu próprio espaço vital e o direito ao auto governo dos seus assuntos internos. Caberá à Aliança Europeia a gestão de todos os assuntos que afectem a totalidade da Europa e a sua defesa perante as ameaças externas.

– Portugal, passada que foi a gesta gloriosa de conquista e descobrimento dos Séculos XV e XVI manterá, no entanto, uma relação especial com os países que civilizou no passado e construirá a ponte que permitirá o estabelecimento de relações amigáveis e de colaboração entre esses países e a Aliança Europeia.

– Para assegurar a nossa sobrevivência e enfrentar as novas ameaças surgidas em finais do Século XX, para além da já antiga ameaça do imperialismo americano-sionista, defendemos uma política de alianças com os regimes nacionalistas e socialistas laicos do mundo Árabe e com os estados não-alinhados. Esta política tem a dupla vantagem da luta comum contra os inimigos comuns e de facilitar o acesso a recursos naturais que não existem na Europa.

Anúncios